Relatórios

Carousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel image

Nossa Missão

Contribuir para um planeta mais sustentável através da logística reversa de cadernos, livros e demais papéis.

Nossa Visão

Ampliar nosso ecossistema de parceiros para possibilitar a logística reversa de cadernos, livros e demais papéis em todo o território nacional.

Carousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel image
Carousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel image

Nossos Valores

  • Intenção

  • Compromisso

  • Qualidade

  • Sustentabilidade

  • Proatividade

Nossa História

As lixeiras cheias de papel amassado poderiam passar despercebidas, mas incomodavam cada vez mais alguns estudantes da Escola Municipal Mansueto Serafini, localizada no bairro Pôr do Sol, em Caxias do Sul (RS). Ao verificar o que continham nos papéis, a descoberta de que a maioria continha apenas algumas palavras e a maior parte do papel estava em branco e logo ao passar no final de outras aulas, houve a comprovação de que o padrão se repetia. Para tornar isso nítido, surgiu a ideia de expor dentro de uma caixa transparente todo esse papel que poderia ter sido melhor aproveitado, logo na entrada da escola.

Essa é uma das principais inquietações que levaram à fundação da Passarte, que mantém seu propósito de diminuir a distância entre realidades que se cruzam. Proporcionar o acesso aos materiais escolares básicos é uma missão que ultrapassa as barreiras da escola: é capaz de gerar mais conforto e mais prazer no momento de dedicar-se aos estudos. Mais do que oferecer objetos, nossa intenção é colorir e transformar a vida de crianças e adolescentes ao longo da trajetória escolar.

Foi no ano de 2011 que um dos professores pediu ajuda da equipe do grêmio para conseguir arrecadar materiais escolares para alunos carentes, inicialmente chamado de “material para todos”, o projeto começou em um pequeno espaço na escola aonde os alunos do grêmio se reuniam e se dividiam entre ações de arrecadação, conscientização e recuperação dos mais diversos tipos de materiais escolares. Tamanho era o empenho e dedicação da equipe, que os alunos chegaram a realizar mutirões em época de férias para recondicionar os materiais escolares recebidos, transformando-os em tempo para entregá-los aos alunos já no início do ano letivo. O sucesso foi tanto que doações chegaram a ser realizadas também para uma tribo indígena.

Ao longo de cinco anos com muitos desafios, a contribuição de pessoas apaixonadas pela transformação social fez a diferença nos rumos desta história. A mentora, Vanessa Kukul, ajudou este movimento no processo de estruturação como negócio, o que se refletiu na identidade do Passarte. A equipe da empresa social 1% provocou e ofereceu suporte para impactar mais de 30 escolas na cidade. O amigo e sócio Matheus Oliveira ajudou a transformar uma ideia em realidade e seu apoio rende frutos até hoje.

Pensando na grandeza deste país e observando que crianças de outros estados do Brasil também precisavam de materiais escolares que ocorreu a expansão da Passarte, o projeto tomou novos rumos e se expandiu, logo mudou de espaço, criou novas metodologias de reciclagem, reaproveitamento e oficinas de reciclagem a fim de repassar os conhecimentos e ter novos replicadores empenhados por todo Brasil. E com toda essa paixão pela transformação social, a Passarte criou pontos de coleta em diferentes estados.

Em maio de 2017, o Projeto Passarte passou a ser a Associação Privada sem Fins Lucrativos Passarte. Em 2018, em parceria com a Fundação Marcopolo, auxiliou na criação do Recicla - Oficina de Reciclagem do Projeto Escolas da Fundação, inspirada no trabalho desenvolvido pela Passarte.

O ano de 2019 já inicia podendo contar com o apoio do Google, por meio do Programa Google para organizações sem fins lucrativos, entre os apoiadores! Já nos primeiros dias de parceria, a Passarte ultrapassou as fronteiras do Estado e desembarcou em Minas Gerais, conquistando um anfitrião na cidade de Catuji.

Em 2020, em meio de um momento difícil como a pandemia, fizemos recrutamento de mais voluntários espalhados pelo Brasil mantendo firme nosso programa de coleta com mais pessoas dedicadas e especializadas e também com mais parcerias conseguimos alcançar bons resultados.

O projeto já é reconhecido como uma das únicas associações sem fins lucrativos no Estado do Rio Grande do Sul com autorização para recolher livros didáticos com prazo de aplicação expirado. Mas não atua só no RS, e recolhe papéis para reciclagem em todo o Brasil.